Receba novidades - cadastre seu E-MAIL

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Obras de Arte - Georges Seurat

Obras de arte – Possibilidades de criação
“Georges Seurat”


Pontilhismo, uma nova maneira de misturar as cores.

No fim do século XIX o desenvolvimento de teorias psicológicas e  fisiológicas gerou  um certo tipo de conhecimento que começou a ser usado pelos pintores da época. Os impressionistas já pregavam que para se alcançar diferentes tons, as cores não precisariam ser misturadas, mas que poderiam ser colocadas lado a lado em pequenas “porções” e nosso olho se responsabilizaria por misturar as cores e gerar tons intermediários.

Georges Seurat é considerado aquele que iniciou o movimento artístico conhecido como Pontilhismo, em que o uso de cores não sobrepostas iniciado pelos impressionistas foi aprofundado. Em seus quadros, Seurat usava pequenas pinceladas de forma sistemática, distribuindo-as com perfeição na tela  de forma que o observador visse uma tela com  inúmeras e sutis transições entre os tons.

A justaposição das cores complementares, segundo um esquema matemático, emprestou ao pontilhismo um aspecto inconfundível, que os inimigos da tendência logo alcunharam de «pintura de confete».

O mestre do pontilhismo – Georges Seurat

       Georges Seurat é considerado aquele que iniciou o movimento artístico conhecido como Pontilhismo, em que o uso de cores não sobrepostas iniciado pelos impressionistas foi aprofundado. Em seus quadros, Seurat usava pequenas pinceladas de forma sistemática, distribuindo-as com perfeição na tela  de forma que o observador visse uma tela com  inúmeras e sutis transições entre os tons.

          Seurat foi o mais notável dos pintores pontilhistas. Suas telas Um domingo de verão na Grande Jatte, (1884-1886; Instituto de Arte de Chicago), O desfile do circo (1887) e a inacabada obra-prima O circo (1890-1891) são admitidas unanimemente como os pontos culminantes do movimento.


         O pontilhismo revelou-se particularmente apto a reproduzir uma atmosfera vibrante, de luz e calor. Foi também, de certo modo, uma das tendências que melhor anunciaram a abstração de cor e forma a que chegaria, anos depois, a pintura ocidental.



          Seurat produziu muitos escritos teóricos e pintou paisagens, marinhas, cenas de Paris e de outras cidades francesas por onde viajou.
           
Fonte: “Fazendo arte com os mestres II” – Ivete Raffa
                     

Atividades: Pintura em diferentes bases utilizando o pontilhismo.

Objetivos:
a)     Conhecer a vida e as obras de Georges Seurat, as características da sua pintura, as cores utilizadas, os temas abordados, etc.
b)     Escolher uma obra da artista, fazer a leitura formal e interpretativa.
c)     Apropriar-se da obra e criar obras inéditas, com diferentes materiais e técnicas, partindo dela.

Atividade 01 – “O grande passeio no rio Senna” – sucata (montagem tridimensional)





Material: 1 caixa de camisa, papelão, Base branca Acrílica para Artesanato (Acrilex), Tinta guache (Acrilex), Tinta Acrílica branca, bege, verde e azul (vários tons), tesoura, cola, pincel e palitos de churrasco.

Modo de fazer:
a) Passe a Base branca acrílica para artesanato na tampa da caixa (parte interna) e na base da caixa (parte externa).
b) Pinte o rio na base da caixa. Coloque sobre a base da caixa guache ou tinta acrílica em vários tons e vá misturando sobre a caixa dando pinceladas.
c) Na tampa, pinte o céu, o chão e as árvores.
d) Com Tinta Acrílica na ponta dos dedos vá fazendo o pontilhismo no rio e no chão (decalque o dedo com a tinta preenchendo todo o espaço).
e) Proceda da mesma forma para o céu, o chão e as árvores.
f) Recorte em papelão os barquinhos, á árvore grande que aparece na obra e o remador.
g) Cole as partes e pinte com Base branca acrílica para artesanato.
h) Pinte com guache ou tinta acrílica. Faça o pontilhismo com os dedos.
i) Cole um palito de churrasco por trás de cada elemento e espete sobre a base (rio e vegetação).
j) Cole a tampa me posição vertical por trás da base para montar a obra.

Atividade 02 – “Rio de Janeiro” - pontilhismo


Material:  bandeja de isopor, lápis preto e Tinta Dimensional ou Crystal cola (Acrilex).

Modo de fazer:
a)  Risque o desenho sobre a bandeja de isopor.
b) Com Tinta Dimensional ou Crystal cola vá fazendo pontinhos para definir o desenho.

Atividade 03 – “Caixinha de madeira” – Crystal Cola


Material: caixinha de madeira, Base branca Acrílica para Artesanato (Acrilex), Tinta Acrílica (Acrilex), Crystal Cola (Acrilex) e pincel.

Modo de fazer:
a) Pinte a caixinha com Base branca acrílica para artesanato.
b)  Assim que secar, pinte com Tinta Acrílica.
c) Crie o desenho sobre a tampa da caixinha e preencha com pontinhos.

Atividade 04 – “Tarsila do Amaral” – pontilhismo com Big Canetas Hidrográficas


Material: cartolina branca e Big Canetas Hidrográficas (Acrilex), Acrylfix (Acrilex).

Modo de fazer:
a) Conhecer a vida e as obras de Tarsila do Amaral.
b) Escolher uma das obras, fazer um zoom e desenhar sobre a cartolina.
c) Com as Big Canetas Hidrográficas preencher todo o desenho com pontinhos.
d) Borrife Acrylfix sobre o trabalho para proteger, mesmo que caia alguma gota d’água não manche.
  
Conteúdos trabalhados:
-        Leitura formal, interpretativa, releitura, vida e obras George Seurat.
-        Pontos, desenho, textura, tridimensão, planos, composição, harmonia, cores.

Técnicas trabalhadas:
- Pintura com manchas e impressão com os dedos – Atividade 01
- Desenho com pontinhos – Rio de Janeiro – Atividade 02
- Desenho com pontinhos – Formas geométricas – Atividade 03
- Pintura pontilhista com canetinhas – Atividade 04

Possibilidades de trabalho:
- Inicialmente apresente aos alunos as obras de Georges Seurat, escolha uma delas (sugestão – “O passeio no rio Senna”).
- Escolhida a obra, façam a leitura formal da obra (linhas, formas, planos, cores, formas, etc).
- No segundo momento faça a leitura interpretativa (O que vejo na obra?, O que está representando, o que me lembra? Qual a mensagem que traz a obra?, etc).
- Fale sobre o artista Georges Seurat, seu estilo, as cores usadas nas obras, o tipo de pintura, o abuso das linhas e das formas, etc. Converse sobre a técnica do pontilhismo.
- Fale com as crianças sobre o que acontecia no Brasil e no mundo na época e o que isso influenciou suas obras.
- Inspirado na obra escolhida, faça suas próprias obras.
- Faça uma roda de conversa onde cada criança mostrará sua criação e contará o que aprendeu com o desenvolvimento da atividade, como foi o processo de criação, quais os novos conteúdos aprendidos e quais os relembrados.

Dicas:
Para trabalhar com as Big Canetas Hidrográficas preste bastante atenção na inclinação da caneta. Se ela estiver num ângulo a 90º em relação ao papel, os pontos ficarão bem pequenos, se você inclinar a caneta o ponto irá aumentando de maneira a formar mini tracinhos. Com as canetas numa inclinação de 45º os tracinhos ficarão maiores ainda. 
- Passe uma camada de spray crystal (Acrylfix) sobre o trabalho com as Big Canetinhas Hidrográficas para proteger o trabalho. Isso evitará que manche se respingar alguma gotinha de água.

     Obs: Publicado no site da Acrilex - www.acrilex.com.br - link "Educadores" - Edição 07


Ivete Raffa
Arte educadora e pedagoga
Cursos e Livros para professores

Nenhum comentário:

Postar um comentário