Receba novidades - cadastre seu E-MAIL

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Artes Plásticas - Modalidade 01 - DESENHO

Artes plásticas – Modalidade 01 – DESENHO


O que é o desenho?
A primeira manifestação da escrita humana é o desenho e é também, a primeira forma usada pela criança para se expressar. Ela começa a rabiscar e dar significados aos rabiscos (garatujas). É através das garatujas que as crianças registram o mundo, enxergam a vida e expressam o que sentem.


À medida que a criança inicia a alfabetização começa a se sentir insegura para desenhar, pois é cobrado dela que os desenhos sejam bonitos e parecidos com a realidade, na maioria das vezes os desenhos que ela faz não são valorizados. A impressão que se dá é que as crianças chegam na escola sabendo desenhar, pintar, recortar, colar... E não é isso que acontece, ela chega na escola sem saber ler, escrever, somar, subtrair, multiplicar, dividir, desenhar, pintar, recortar e tantas outras coisas. É na escola que ela vai aprender, se desenvolver, se desinibir, experimentar, enfim, formar seu conhecimento, um pouquinho por dia.


Quando os pais querem desenhos bonitos, pastas lotadas de atividades (geralmente papéis xerocados e pintados), é preciso fazer uma reunião e dizer aos pais que elas vão aprender a desenhar e pintar aos poucos e que tudo isso é um processo que envolve observação, experimentação, desafios, disposição, etc.

Muitas crianças começam a se sentir inibidos e, se puderem, “fogem” de desenhar. As professoras, por se sentirem inseguras, não saberem desenhar ou quererem desenhos “bonitos”, não desafiam seus alunos. Dão desenhos mimeografados ou xerocados que bloqueiam a criatividade da criança a tal ponto que é comum ver crianças com 7 ou 8 anos dizerem “não sei desenhar...” e vão seguindo dessa forma até se tornarem adultos.


É muito importante que a criança se expresse em todas as modalidades artísticas e, desenhar, é a maneira de expressar suas emoções graficamente. Através do desenho livre, a criança desenvolve noções de espaço, tempo, quantidade, sequência, apropriando-se do próprio conhecimento e do conhecimento que o cerca, aprendendo a respeitar seu próprio ritmo. Assim sendo, o professor tem extrema importância nesse processo.

A criança, inicialmente, se comunica através dos desenhos, uma vez que ainda não sabe usar a escrita convencional. Aos poucos, a criança vai coordenando os movimentos do braço e da mão ao segurar o lápis e riscar o papel. Ela percebe que essa atividade dá muito prazer a ela e começa a dar significado aos rabiscos, que futuramente terão formatos mais reais.



Os desenhos precisam e devem ser sempre valorizados pelos educadores e a importância dessa valorização deve ser compreendida e compartilhada pelos pais.

Fases do desenvolvimento artístico:
a) Garatujas – Desenhos realizados pelas crianças de 0 a 4 anos. A criança demonstra extremo prazer ao desenhar. A figura humana é inexistente ou pode aparecer de maneira imaginária. A cor tem papel secundário, aparecendo o interesse pelo contraste, mas não há intenção consciente.
A criança entre 2 e 4 anos começa a atribuir significados aos desenhos e diz: “esse é meu pai, minha mãe, um carro, meu amigo....”.


b)    Idade pré esquemática – Desenhos realizados por crianças entre 4 e 7 anos. Nessa fase adquire maior domínio e revela intenções claras no ato de desenhar, começa a ter bom controle muscular, o que possibilita manejar os instrumentos para o desenho. Aparecem as primeiras relações espaciais. A figura humana aparece com muita desproporção, isto é, cabeças enormes, corpo pequeno ou braços pequenos e mãos enormes ou corpo pequeno e pernas enormes. Ainda não relaciona as cores com a realidade, utiliza-as dependendo do estado emocional.



c)   Idade esquemática – Dos  7 aos 10 anos. Nesta fase as crianças começam a definir os espaços, desenham a linha de base. Possuem um conceito definido com a figura humana e a desenham com proporcionalidade e detalhes. Nessa idade as crianças relacionam as cores aos objetos, mas em alguns casos as cores aparecem ressaltando a parte emocional pela qual estão passando. Nesta idade é muito comum as crianças fazerem desenhos estereotipados ou reproduzirem desenhos prontos (cópias).

Materiais utilizados para se desenhar:
a) Lápis preto
b) Lápis de cor
c) Giz de cera
d) Pintura a dedo
e) Carvão
f) Canetinhas
g) Cola branca e giz de cera
h) Cola branca e barbante
i) Tinta dimensional ou Crystal cola (desenhar com o bico) e outros

Sugestões de atividades de desenho:
a) Desenho livre – A criança desenha o que quer.

b) Desenho de observação – A criança observa um objeto, paisagem, etc. e desenha.


c) Desenho pela sugestão do traço – Todas as crianças recebem o mesmo traço e, a partir dele, criará seu próprio desenho. Os resultados serão bem diferentes.


d) Desenho de completar – A criança recebe uma parte do desenho e deverá completá-lo.




e) Desenho - Ditado visual – A professora descreve o desenho ou obra escolhida e, sem mostrar a imagem, descreve todos os detalhes vagarosamente. As crianças produzirão a imagem que imaginaram.


f) Desenho da figura humana – A criança observará um colega e deverá desenhá-lo.


g) Desenho em positivo e negativo – Desenhar sobre uma folha de papel branca ou colorida um coração, por exemplo. Numa outra folha passa-se carvão preenchendo-a toda, em seguida, com uma borracha ou lápis borracha fazer o desenho.


h) Desenho com cola branca e giz de cera – Desenhar sobre uma folha de papel branco com a cola branca (utilizar o bico de saída como se fosse um lápis), esperar secar. Passar o giz de cera deitado. À medida que se passa o giz de cera o desenho aparece.


i) Desenho raspado - giz de cera e tinta nanquim.


Fonte:  Artes Plásticas – Primeiros Passos – Autoras: Ivete Raffa e Márcia Regina da Silva – Editora Giracor

Aviso:  Nas edições seguintes serão abordadas as demais Modalidades das Artes Plásticas: Recorte e Colagem, Impressão, Bi e Tridimensão e Pintura.

Obs: Texto publicado no site da Acrilex - www.acrilex.com.br - link "Educadores" - Edição 14.
Ivete Raffa
Arte educadora e pedagoga
Cursos de capacitação de professores e Livros pedagógicos


Nenhum comentário:

Postar um comentário