Receba novidades - cadastre seu E-MAIL

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Artes Plásticas - Modalidade 02 - Recortar e Colar

Artes plásticas – Modalidade 02 – Recortar e colar


Porque trabalhar com as crianças com atividades de recortar e colar?

Na fase inicial da aprendizagem, as crianças precisam ser estimuladas de várias maneiras para que se desenvolvam satisfatoriamente e, uma delas é propor que recortem e colem das mais diferentes formas. É necessário planejar atividades para desenvolver a coordenação motora fina que antecedem o uso da tesoura.


Estimulação dos dedos
Sugestões para estimular os movimentos dos dedos:
- Estalar os dedos, entrelaçar, brincar de tocar instrumentos (piano, guitarra e outros).
- Rasgar papéis com os dedos. Pintar com os dedos.
- Dobrar papéis (origami). Atividades com alinhavos.

Estimulação das mãos - Estimule os movimentos das mãos, sem que os braços façam o mesmo, eles ficam como “suporte”.
Sugestões para estimular as mãos:
- Apertar uma bolinha ou objeto e soltar, apertar e soltar...
- Bater palmas em diferentes ritmos e intensidades.
- Amassar papéis, fazer bolinhas de papel.
- Brincar com massinhas – modelar.

Até os quatro anos as crianças usam nas atividades de recorte e colagem tesouras sem pontas e com pouquíssimo corte. Depois dessa idade elas devem usar tesouras sem pontas mas com um pouco mais de corte.

Fases do Recorte e Colagem


- Fase celular: A criança recorta e cola de qualquer maneira, sem intenção de formar cenas. Gosta de ter material variado. Nesta fase, a professora deverá intervir quanto ao uso correto da tesoura (cuidado para não cortar os dedos) e o uso da cola ( o ideal é usar a cola bastão).
Ainda não nomeia suas produções.


- Fase das formas isoladas: Ela não dá forma definida ao recorte, mistura o que recorta, mas já está enriquecendo sua experiência. A professora deverá oferecer materiais variados para enriquecer a colagem: barbante, lã, canudinho, algodão, paetês, tecido, etc.

Às vezes, consegue nomear suas produções.


- Fase da cena simples: a criança recorta tirinhas e cola para armar um esboço simples. Deixa quase sempre uma área vazia. É uma fase sem proporção. Já consegue nomear sua produção (exemplo: um barco).




- Fase da cena completa: a criança usa as tirinhas, geralmente faz a "linha de base" (o "chão" que aparece também em seu desenho), usa formas variadas para compor sua produção (recorta intencionalmente). Percebe-se uma cena. Nomeia e explica sua produção (exemplo: um barco navegando no rio).


Essas "fases" também podem ser observadas no desenho. Cabe ao professor, além do incentivo, e de escolher os materiais necessários para cada fase, planejar atividades para que as crianças avancem. A criança não aprende sozinha, não cria no "vazio"... Ela precisa da intervenção do adulto, ou de outra criança mais experiente para avançar em suas hipóteses e experiências.




O professor deve observar como a criança segura a tesoura (o canhoto necessita de tesoura adaptada às suas necessidades), como manuseia o papel (ou outro material para corte) e como utiliza a cola. A partir dessas observações deve fazer as intervenções necessárias.


Nunca se ausentar do local onde as crianças estejam utilizando tesoura e cola. Ter atenção aos materiais que serão manuseados, exemplo: não oferecer botões e objetos pequenos que possam ser engolidos pelas crianças. Se necessário, redigir um combinado do que "pode e não pode" fazer no recorte e colagem. Cuidado para que eles não cortem cabelos e roupas deles ou dos colegas.





Ao utilizar a tesoura, a criança desenvolve o uso bilateral das mãos: mão dominante corta e a outra dá suporte ao papel.


Para auxiliar o uso da tesoura, o professor deverá planejar atividades de recorte na qual a criança use a tesoura em movimento para frente (linhas retas), direção lateral da tesoura (esquerda / direita), corta figuras geométricas simples (quadrado, triângulo e círculo), corta figuras complexas e corta material que não seja papel (tecidos como o TNT são fáceis de cortar).





É difícil para uma criança visualizar o "contorno" de uma imagem colorida impressa (como nas revistas), ela acaba cortando algum pedaço... Para isso, a professora deverá contornar com canetinha e pedir que a criança corte.


Ao cortar seguindo o contorno, a criança perceberá os detalhes sem se preocupar em cortar o rabo ou as orelhas do cachorro. Aos poucos, a criança não necessitará deste contorno.


Outra sugestão: recortar figuras em revistas (não mais utilizadas), colar em papel branco e compor cena usando lápis cera, lápis de cor ou caneta hidrocor. Em rostos grandes, separe olhos, boca, nariz, orelhas e componha novos rostos numa base de papel.

Fonte: Ivanise Meyer - baudeideiasdaivanise.blogspot.com
Materiais utilizados nesta modalidade
a) Papéis: Cartolina, Canson, Color set, papel Ecocores Textura, Ecocores 21 cores, laminado, sulfite, micro-ondulado, papelão, cartão, fantasia etc.
b) Tecidos: brim, juta, TNT e outros.
c) Outros: grãos, canudos, palitos, barbante, areia, etc.
d) Colas: Cola branca, Cola transparente, cola bastão, cola quente (somente recomendada para Ed. Fundamental II com supervisão direta do professor).
e) Outros: Fita dupla face, durex, fita adesiva, grampeadores, etc.


Fonte:  "Artes Plásticas – Primeiros Passos" – Autoras: Ivete Raffa e Márcia Regina da Silva – Editora Rideel

Aviso:  Nas edições seguintes serão abordadas as demais Modalidades das Artes Plásticas: Impressão, Bi e Tridimensão e Pintura.

Ivete Raffa
Arte educadora e pedagoga
Cursos e livros para professores


Nenhum comentário:

Postar um comentário