Receba novidades - cadastre seu E-MAIL

segunda-feira, 28 de março de 2016

Obras de arte - Possibilidades de criação - "Cândido Portinari"

“Cândido Portinari”

   
Cândido Portinari nasceu em Brodósqui, interior de São Paulo, em 1903. Seus pais eram italianos e vieram para o Brasil esperando melhorar de vida. O primeiro emprego que conseguiram foi numa lavoura de café. Sua infância de menino do interior foi bastante simples, mas feliz e cheia de recordações. Gostava de jogar futebol, nadar nos rios da redondeza, brincar com pião, brincar de pular cela, balanço, enfim, brincava muito nas ruas de Brodósqui. Essas lembranças lhe renderam obras maravilhosas sobre as brincadeiras infantis.

Desde pequeno desenhava e por isso os colegas lhe pediam que ilustrasse seus cadernos, trabalhos e cartazes. Aos 9 anos trabalhou como ajudante de pintores italianos, na decoração da igreja de Brodósqui. 

"O circo" - 1950

Portinari se alegrava muito quando montavam circo em Brodósqui. A cidade toda ficava alegre e movimentada. A banda de música era outra atração, pois tocava nas festas e no coreto da praça nos finais de semana. Seu pai, o sr. Batista era um dos músicos.

Como todas as crianças, Cândinho, como era chamado, sentia alguns medos. Nas plantações via muitos espantalhos e, à noite, tinha pesadelos. Mais tarde fez várias obras mostrando espantalhos.



Cândinho era muito curioso, impressionava-se com os retirantes nordestinos, que chegavam a Brodósqui procurando emprego. Eram pessoa famintas e sofridas. Cândinho ficava observando essas pessoas por muito tempo. Dessa observação surgiu a série de pinturas “Os retirantes”, onde Portinari expressava a dor e o sofrimento dos nordestinos e exagerava ao retratar o sofrimento e a tristeza das pessoas.


Aos 15 Anos foi estudar no Rio de Janeiro, incentivado pela família que percebia seu grande talento para a pintura. Trabalhou e estudou bastante. Algum tempo depois ganhou uma viagem de estudos à Europa. Conheceu Maria Martinelli em 1930, jovem uruguaia de 19 anos, radicada com a família em Paris e se casou com ela. Na França, Portinari sentia saudades de Brodósqui e, ao voltar ao Brasil, fez várias obras pintando sua terra e sua gente.

Portinari fez uma exposição individual no Palace Hotel do RJ em 1932 exibindo obras que retratam cenas da infância, circo e cirandas. Pintou os lavradores de café, que ele conhecia tão bem desde a infância. Exagerava nos tamanho dos pés e das mãos com o intuito de mostrar o quanto trabalhavam nas lavouras.




Portinari pintou seu primeiro mural em 1936 para o monumento rodoviário da Estrada Rio/São Paulo, medindo 1m x 8m. A partir daí executou inúmeros painéis por todo o Brasil e desenvolveu a série “Via Sacra”, na Igreja da Pampulha em Belo Horizonte, painéis enormes e maravilhosos. Em 1951 participou da 1ª Bienal de São Paulo.  Morreu em  1962, aos 59 anos, intoxicado pelas tintas que tanto utilizou. Deixou inúmeras obras retratando o Brasil não só para os brasileiros, mas para o mundo todo.
         

Atividades: Representação dos espantalhos de diferentes formas.


Objetivos:
a)     Conhecer a vida e as obras de Cândido Portinari, as características de sua pintura, as cores utilizadas, as fases e os temas abordados.
b)  Escolher uma obra do artista, cujo tema é “Espantalho”, fazer a leitura formal e interpretativa.
c)     Apropriar-se da obra e criar obras inéditas, com diferentes materiais.

Atividade 01 – Espantalho no CD


Material: CD, EVA, Tinta Acrílica fosca. Cola para EVA, Cola branca, Marcador permanente preta, Crystal cola (Acrilex), EVA, cortiça, tesoura, sacolinha plástica, tecido xadrez.

Modo de fazer:
a)    Pinte o CD com a Tinta Acrílica fosca. Deixe secar.
b)    Corte em EVA branco duas ovais e, com Marcador permanente, pinte os olhos. Cole sobre o CD com a cola de EVA.
c)    Corte um triangulo em EVA laranja (nariz). Cole sobre o CD com a cola de EVA..
d)    Passe com uma esponja blush rosa e espalhe. Faça a boca do espantalho com o Marcador permanente preto.
e)    Recorte cabelos de EVA e de plástico (sacolinhas plásticas). Cole com cola de EVA no topo do CD.
f)     Na parte inferior do CD cole um laço xadrez feito de tecido.
g)    Na cortiça, corte um chapéu para o espantalho, com o marcador permanente faça os traços. Cole sobre os cabelos.

Obs: Atividade realizada pela professora Renata Neto Moura Ita de São Vicente - SP

Atividade 02 – Espantalhos sobrepostos




Material:  Papel sulfite, Big Canetas Hidrográficas (Acrilex), Marcador permanente preto, régua e folha de transparência.

Modo de fazer:
a) Inspirando-se nos “Espantalhos” de Portinari e, nas lendas urbanas, faça o desenho numa folha de papel sulfite.
b) Pinte  o desenho com as Big Canetas Hidrográficas da Acrilex utilizando a régua para fazer os traços, isto é, faça um traço, deslize um pouquinho a régua, faça outro traço e proceda dessa forma até preencher todo o desenho.
c) Coloque uma folha de transparência sobre o desenho e contorne-o com o Marcador permanente. Na transparência, faça detalhes para enriquecer a obra.
d) Mostre as obras separadamente ou coloque a transparência sobre a pintura, você terá um terceiro trabalho mais completo e realçado.

Técnica – pintura de canetinhas com régua
Obs: Os trabalhos acima foram realizados dentro do Projeto Portinari, desenvolvido pelas professoras Márcia Querino Teixeira dos Santos (Artes) e Juliana Ap. Rodrigues de Lima (Lingua Portuguesa) do Colégio São Gualberto de Pirituba – SP, com alunos do 6º ano do Ensino fundamental II. 
O objetivo era conhecer Portinari, suas obras e, cada aluno deveria criar contos inéditos (desenvolvimento da escrita) e desenhos inspirados nas obras “Espantalhos” (expressão artística).

Atividade 03 – Espantalho na janela


Material:  EVA, Cola de EVA, olhinhos móveis, Marcador permanente preto, palitos de sorvete, tesoura, cola e palha seca.

Modo de fazer:
a) Recorte o EVA (cabeça, camisa e chapéu). Cole as partes.
b) Cole palha seca sob o chapéu e nas mangas da camisa. Cole os olhos e, com o Marcador permanente preto faça a boca e os pespontos.
c) Monte a “janela” colando palitos de sorvete. Cole o espantalho por trás da janela.


Atividade 04 – Espantalho de Papel Mache


Material:  Papel Mache, Guache Glytter, Tinta acrílica fosca (Acrilex), Cola quente, palha seca, Tinta Dimensional, Marcador permanente preto e palito de churrasco.

Modo de fazer:
a) Prepare o Papel Mache de acordo com as instruções da embalagem. Modele o espantalho (camisa, calça, cabeça e chapéu). Espere secar.
b) Pinte com Guache glytter.
c) Cole palha seca nas mangas da camisa, calças e cabeça. Cole o chapéu.
d) Por último, cole o palito de churrasco por trás e espete em vasos de plantas ou jardim.

Atividade 05 – Espantalho na noite.


Material: Tinta Acrílica, Tinta Confetti, pincel, Marcador permanente, Cola de EVA, EVA, Lápis de cor aquarelável (Acrilex), palha seca, bandeja de isopor e tesoura..

Modo de fazer:
a) Pinte a bandeja de isopor com Tinta Acrílica e espere secar. Utilize azul bem forte para pintar o céu. Espere secar.
b) Pinte o céu com Tinta Confetti que contenha estrelinhas. Espere secar.
c) No EVA branco, pinte com o Lápis de cor aquarelável a camisa do espantalho (molhe a ponta para facilitar a pintura).
d) Recorte a cabeça, o chapéu, a camisa e a calça. Cole a palha seca, os olhos e, com o Marcador permanente preto faça a boca e o nariz.
e) Cole o espantalho sobre a bandeja pintada.

Conteúdos trabalhados:
-   Leitura formal, interpretativa, releitura, vida e obras de Cândido Portinari.
- Linhas, formas, cores, composição, sobreposição, textura, movimento, volume e harmonia.

Técnicas trabalhadas:
- Atividade 01 – “Espantalho no CD” – Pintura, recorte e colagem.
- Atividade 02 – “Espantalhos sobrepostos” – Pintura de canetinhas com régua
- Atividade 03 – “Espantalho na janela” – Recorte e colagem com EVA
- Atividade 04 – “Espantalho com Papel Mache” – Modelagem e Pintura
- Atividade 05 – “Espantalho na noite” – Pintura, Recorte e Colagem

Possibilidades de trabalho – Brincadeiras infantis:
- Inicialmente apresente aos alunos as obras de Cândido Portinari.
- Fale sobre o artista Cândido Portinari, seu estilo, as cores usadas nas obras, o tipo de pintura, o abuso das linhas e das formas, etc.
- Divida a sala em grupos, proponha que cada grupo pesquise sobre uma fase de Portinari: Brincadeiras Infantis, Espantalhos, Retirantes, Café e outras. Proponha que relatem os acontecimentos do Brasil nas diferentes fases.
- Escolhendo a fase “Espantalhos”, mostre as obras às crianças, converse sobre elas. Peça que conversem com os pais e avós sobre os espantalhos que eram colocados nas plantações para espantar os pássaros.
- Proponha às crianças que criem espantalhos com diferentes materiais e técnicas.
- Chame os pais e socialize as obras criadas pelas crianças.
- Faça uma roda de conversa onde as crianças contarão o que aprenderam com o desenvolvimento da atividade, como foi o processo de criação, quais os novos conteúdos aprendidos e quais os relembrados.
    
Dicas:
1)    Atividade 01 – Você poderá fazer vários espantalhos e pendurar na parede ou no teto da sala de aula.
2)    Atividade 02 – Ao fazer a pintura usando canetinhas e a régua, geralmente a canetinha suja a régua. O ideal é ir limpando com um paninho para que a tinta não se acumule e borre o trabalho.
3)    Atividade 03 e 05 – Ao usar a cola de EVA, passe pouca cola. O EVA não absorve a cola, portanto ela pode se espalhar e deixar o acabamento feio.
4)    Atividade 04 – Para pintar o espantalho feito de Papel Mache não é necessário passar a Base branca acrílica para artesanato. A pintura pode ser feita diretamente sobre as partes modeladas em papel mache.

 Observação 01: Para saber mais leia o  livro “Artes, primeiros passos” de autoria de Ivete Raffa e Márcia da Silva  – Editora Rideel.
Observação 02 - Plano de aula publicado no site da Acrilex - www.acrilex.com.br - link "Educadores", Edição 12

Ivete Raffa
Arte educadora e pedagoga

Nenhum comentário:

Postar um comentário