Receba novidades - cadastre seu E-MAIL

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Obras de Arte - Possibilidades de criação - Di Cavalcanti

Obras de Arte - Possibilidades de criação - Di Cavalcanti

Emiliano Di Cavalcanti

"Cinco moças de Guaratinguetá" - 1930

Emiliano Di Cavalcanti nasceu em 1897, no Rio de Janeiro. Quando seu pai morreu em 1914, Di Cavalcanti começa a trabalhar fazendo ilustrações para a revista Fon-Fon.  Em 1916, transferiu-se para São Paulo, ingressou na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco. Seguiu fazendo ilustrações e começou a pintar. O jovem Di Cavalcanti frequentou o atelier do impressionista George Fischer Elpons e tornou-se amigo de Mário e Oswald de Andrade.

Entre 11 e 18 de fevereiro de 1922 idealizou e organizou a Semana de Arte Moderna no Teatro Municipal de São Paulo, criando para essa ocasião as peças promocionais do evento: catálogo e programa. Faz sua primeira viagem à Europa em 1923, permanecendo em Paris até 1925. Expos em diversas cidades: Londres, Berlim, Bruxelas, Amsterdã e Paris. Conheceu Picasso, Léger, Matisse, Eric Satie, Jean Cocteau e outros intelectuais franceses. Retornou ao Brasil em 1926 e ingressou no Partido Comunista. Seguiu fazendo ilustrações. Fez nova viagem a Paris e criou os painéis de decoração do Teatro João Caetano no Rio de Janeiro.

"Mural" - 1942

Os anos 30 encontram um Di Cavalcanti imerso em dúvidas quanto à sua liberdade como homem, artista e dogmas partidários. Sofreu sua primeira prisão em 1932 durante a Revolução Paulista. Casou-se com a pintora Noêmia Mourão. Publicou o álbum A Realidade Brasileira, série de doze desenhos satirizando o militarismo da época. Em 1936 escondeu-se na Ilha de Paquetá e foi preso com Noêmia. Libertado por amigos, seguiu para Paris, lá permaneceu até 1940. Em 1937 recebeu medalha de ouro com a decoração do Pavilhão da Companhia Franco-Brasileira, na Exposição de Arte Técnica, em Paris.


Com a iminência da Segunda Guerra deixou Paris e retornou ao Brasil, fixando-se em São Paulo. Um lote de mais de quarenta obras despachadas da Europa não chegaram ao destino, extraviando-se. Passou a combater abertamente o abstracionismo através de conferências e artigos. Em 1947 participou com Anita Malfatti e Lasar Segall do júri de premiação de pintura do Grupo dos 19. Seguiu criticando o abstracionismo.

Foi convidado e participaou da I Bienal de São Paulo, 1951. Fez uma doação generosa ao Museu de Arte Moderna de São Paulo, constituída de mais de quinhentos desenhos. Recebeu a láurea de melhor pintor nacional na II Bienal de São Paulo, prêmio dividido com Alfredo Volpi


Em 1956 participou da Bienal de Veneza e recebeu o I Prêmio da Mostra Internacional de Arte Sacra de Trieste. Recebeu proposta de Oscar Niemeyer para a criação de imagens para tapeçaria a ser instalada no Palácio da Alvorada; também pintou as estações para a Via-sacra da catedral de Brasília.

Participou de exposições no México, Argentina, Paraguai, Uruguai, Moscou e França entre outros.
A modelo Marina Montini era a musa da década. Em 1971 o Museu de Arte Moderna de São Paulo organizou retrospectiva de sua obra e ele recebeu o prêmio da Associação Brasileira dos Críticos de Arte. Comemorou seus 75 anos no Rio de Janeiro, em seu apartamento do Catete. 


A Universidade Federal da Bahia outorgou-lhe o título de Doutor Honoris Causa. Fez exposição de obras recentes na Bolsa de Arte e sua pintura Cinco Moças de Guaratinguetá foi reproduzida em selo. Casou-se quatro vezes e faleceu aos 79 anos no Rio de Janeiro.


Atividades: Peixes com recorte e colagem, peixes modelados com papel mache e massinha, peixes com pintura.


Objetivos:
a)   Conhecer a vida e as obras de Di Cavalcanti observando as cores, as linhas, a simplificação das formas e os temas retratados nas suas obras.
b)  Inspirar-se nas obras de Aldemir Martins e criar novas obras com diferentes materiais.

Atividade 01 – O fundo do mar


Material:  tela, Papel Mache, Primer, Tinta Acrílica, Super cola pano, Crystal cola, Cola branca (Acrilex), tecido de algodão, tesoura, cordinha, cola quente e grampeador.

Modo de fazer:
a)  Prepare o Papel Mache de acordo com as instruções da embalagem. Modele diferentes tipos de peixes. Espere secar.
b)    Passe Primer nos peixes e, depois de seco, pinte com Tinta Acrílica.
c)    Encape a tela com tecido de algodão. Recorte outros tecidos e cole com a Super cola pano na parte inferior da tela.
d)    Cole os peixes sobre a tela. Com Crystal Cola faça detalhes (bolhas, linhas).
e)    Para finalizar, cole cordinha nas laterais para fazer uma moldura.


Atividade desenvolvida pela arte educadora – Glória Tomazzi

Atividade 02 – Peixe na caixinha redonda


Material: caixinha de MDF redonda, Base Branca Acrílica para Artesanato, Tinta Acrílica azul anil e azul claro, Tinta Mosaico branca, Crystal cola preta, vermelha e tons de azul, olho móvel.

Modo de fazer:
a)    Passe a Base Branca Acrílica para Artesanato na caixa.
b)  Pinte a parte inferior da caixinha com Tinta Acrílica azul anil. Pinte a tampa com Tinta Acrílica azul claro.
c)   Desenhe um peixe na tampa da caixinha. Contorne-o com a Crystal cola preta. Dentro do peixe faça várias linhas com Tinta Mosaico branca. Espere secar.
d)   Pinte os espaços entre as linhas com a Crystal cola em tons de azul (Metálica, Glitter e Jelly. Fora do peixe complete com Tinta Mosaico branca.
e)    Cole o olho móvel.

Atividade 03 – Peixes com Massinha Soft


Material: Tinta Acrílica, Cola branca, Massinha Soft, Crystal Cola (Acrilex), olhos móveis, pincel, Ecotela (Novaprint) ou tampa de caixa de sapatos.

Modo de fazer:
a)  Com Tinta Acrílica pinte a Ecotela ou a tampa da caixa de sapatos. Utilize a técnica das batidinhas, isto é, coloque gotas de tinta sobre a base, vá batendo e misturando na própria base.
b)    Faça algas com Crystal cola.
c)    Modele os peixes e as pedras com Massinha Soft. Cole sobre a tela.
d)    Finalize colando os olhinhos móveis.


Atividade 04 – Pescados


Material: Bloco Ecocores 21 cores (Novaprint), Cola branca, Crystal cola (Acrilex), olhos móveis, tesoura, fio de nylon e varinha de pescar.

Modo de fazer:
a)    Faça o desenho de um peixe (corpo, barbatanas, rabo). Recorte em papel colorido, cada parte de uma cor. Cole as partes.
b)    Faça texturas com Crystal cola. Cole os olhos móveis.
c)    Cole ou amarre o fio de nylon. Junte-os numa fieira e amarre na ponta da varinha de pescar.

Atividade 05 – Peixe espada


Material:  bolsa de lona, brim branco, Caneta Acrylpen preta, Tinta Dimensional preta, Super cola pano (Acrilex), tesoura

Modo de fazer:
a)   Desenhe um peixe no brim branco. Com a Caneta Acrylpen preta faça texturas diferentes no corpo, rabo e barbatanas. Recorte.
b)   Com a Super cola pano, cole o peixe na frente da bolsa de lona. Cole os demais elementos da composição (pedras, algas, chão).
c)   Com a Tinta dimensional preta, contorne as pedras, algas, chão e peixe.

Desenvolvimento dos trabalhos:
- Inicialmente peça aos alunos que, em grupos, pesquisem sobre Di Cavalcanti na sala de computação da escola ou em casa. Socializem.
- Converse sobre o Modernismo, movimento que o influenciou no início de sua carreira e a importância dele na Semana de 22.
- Converse sobre o tipo de obra que Di Cavalcanti realizou, a preferência pelas mulatas e por retratar peixes.
- Peça aos alunos que observem os diferentes tipos de peixes que existem, como acontece a procriação, pra que servem (decoração, alimentação, iscas, etc).
- Trabalhe interdisciplinarmente desenvolvendo conteúdos de matemática, ciências, história, geografia e português.
- Sugira que desenhem peixes das mais diferentes maneiras. Escolham alguns desenhos, transfiram para o tecido, papel, caixa de madeira e pintem. Os peixes podem ser modelados também com Papel Machê (atividade 01) ou Massinha Soft (Atividade 03).
- Ao final dos trabalhos, converse com os alunos sobre tudo o que aprenderam com esse estudo.

Conteúdos trabalhados:
-  Di Cavalcanti – vida, obras e estilo
-  Leitura formal, interpretativa, releitura
-  Linhas, formas, cores, composição, sobreposição, textura, movimento, volume e harmonia.

Possibilidades de trabalho
- Artes – História da Arte e todos os conteúdos das artes plásticas.
- Matemática – Tamanho, peso e situações problema.
- História – Movimento modernista no Brasil.
- Português – textos verbais e não verbais.
- Ciências – peixes (valor nutritivo, procriação, espécies).
- Geografia – Peixes (espécies) por continentes.

Obs: Plano de Aula publicado no site da Acrilex - www.acrilex.com.br - link "Educadores" - Edição 14.
    
Ivete Raffa
Arte educadora e pedagoga

Um comentário:

  1. Olá !
    Passei para deixar um grande abraço e para ver as novidades
    maravilhosas que tem neste blog.

    ResponderExcluir