Receba novidades - cadastre seu E-MAIL

terça-feira, 29 de julho de 2014

Obras de Arte - "Joan Miró"

Obras de arte – Possibilidades de criação
"Joan Miró"

"Vila Prades" - 1917

Miró nasceu em Barcelona, em 1893. Cursou a Escola de Belas Artes de sua cidade e a Academia de Gali. Em 1919, visitou Paris, onde foi contagiado por aspectos dos movimentos estéticos fovistas e dadaístas.

O Fovismo, movimento artístico que nasceu na França, tem como características marcantes a simplificação das formas, o uso indiscriminado e arbitrário das cores, a utilização de temas leves, retratando emoções e a alegria de viver, não tinha intenção crítica.


O Dadaísmo é caracterizado pela oposição a qualquer tipo de equilíbrio, pela combinação de pessimismo irônico e ingenuidade radical, pelo ceticismo absoluto e improvisação. Enfatizou o ilógico e o absurdo. Entretanto, apesar da aparente falta de sentido, o movimento protestava contra a loucura da guerra. Assim, sua principal estratégia era mesmo denunciar e escandalizar.


Miró era pressionado a estudar em cursos que o capacitassem ao trabalho com o comércio. O resultado dessa pressão é que o jovem Miró acabou por desistir de estudar, foi trabalhar no comércio e teve uma profunda depressão, necessitando de tratamento de saúde.

A mente de Miró mostrou-se muito criativa ao longo de sua vida. Durante os seus estudos de arte, por orientação dos seus professores, treinava desenhar objetos que conhecia apenas pelo tato. Também treinava pintando paisagens gravadas na mente. Ia a um lugar, observava e depois voltava ao atelier para começar a trabalhar. Talvez esses exercícios, somados a uma tendência natural, tenham feito de Miró uma mente privilegiada.

"Arlequim" - 1924

Joan Miró deixou-se influenciar prazerosamente por todas as correntes de arte com que tomou contato. Influências cubistas, surrealistas, abstracionistas são facilmente percebidas em seus trabalhos e a maneira de ver dos cubistas combina fortemente com a sua visão das coisas.

No início dos anos 20, conheceu Breton e outros artistas surrealistas. Na pintura “O Carnaval de Arlequim” – 1924 inaugurou uma linguagem cujos símbolos remetem a uma fantasia inocente, sem as profundezas das questões surrealistas em 1925.

"Lição de esqui" - 1966

Em 1928, viajou para a Holanda e pintou a tela “Interiores Holandeses”. Em 1937, trabalhou pintando grandes murais, mais tarde, em 1944, iniciou-se em cerâmica e escultura.

Miró alternou fases de dificuldades financeiras intensas com fases de prosperidade, mas aos poucos foi afirmando-se como um artista do primeiro time.

"Interiores Holandeses" - 1928

Essa forma interpretativa através de símbolos preenche completamente grande parte dos seus quadros, onde tudo é mostrado unicamente através de traços, símbolos e sugestões.

No final de sua vida Miró reduziu os elementos de sua linguagem artística a pontos, linhas, alguns símbolos e a cor, passando a usar basicamente o branco e o preto ou jogando tinta preta sobre as telas depois de pintadas, deixando escorrer.   Morreu em 1983, em Palma de Mallorca, na Espanha.

Fonte: “Fazendo arte com os mestres II” – Ivete Raffa – Ed. Escolar.
                     
"Garden" - 1977


Atividades: Pintura em diferentes bases utilizando o estilo de Joan Miró.

Objetivos:
a)    Conhecer a vida e as obras de Joan Miró, as características da sua pintura, as cores utilizadas, os temas abordados, etc.
b)     Escolher uma obra da artista, fazer a leitura formal e interpretativa.
c)  Apropriar-se da obra e criar obras inéditas, com diferentes materiais e técnicas, partindo dela.

Atividade 01 – “Garden” - Pintura de caixinha de madeira





Material: caixinhas de madeira, Base acrílica branca para artesanato, Tinta para artesanato PVA Acrilex, Crystal cola (várias cores) - Acrilex, lápis preto e pincel.

Modo de fazer:
a) Passe uma demão de Base branca acrílica para artesanato nas caixinhas e espere secar. Pinte a caixinha com Tinta PVA.
b)  Inspirado na obra “Garden” de Miró, faça um desenho sobre uma das partes da caixinha ou faça um zoom na obra.
c) Faça os contornos com Crystal Cola Brilliant preta. Espere secar.
d) Complete o trabalho com a Crystal Cola Metallic, Glitter e Brilliant de várias cores.
e) Utilize para colocar lápis, canetas, bijuterias, linhas ou outros utensílios que necessitar.

Atividade 02 – “Garden” - Montagem tridimensional com EVA e Crystal Cola.





Material:  EVA(várias cores), Cola para EVA Acrilex, Crystal Cola Acrilex, palitos de churrasco ou arames móveis, cola quente e base para fixação.

Modo de fazer:
a) Inspirado na obra “Garden” de Miró, recorte as formas em EVA de várias cores.
b) Com Cola para EVA Acrilex cole as partes sobrepostas. Espere secar.
c) Cole palito de churrasco por trás ou arames móveis.
d) Faça texturas com Crystal Cola.
e) Sobre uma base de fixação monte a obra.
f) Mude as partes de lugar para formar outras obras.

Atividade 03 – “Garden” – Desenho raspado



Material: Giz de Cera Triangular Acrilex, Tinta Nanquim preta Acrilex, pincel, ¼ de cartolina e clip.

Modo de fazer:
a) Pinte ¼ de cartolina com Giz de Cera Triangular. Pinte cada pedaço de uma cor.
b) Passe uma demão de Tinta Nanquim preta sobre a pintura e espere secar.
c) A partir da observação da obra “Garden” de Miró, faça o desenho sobre o trabalho. Raspe com o clip algumas partes para que a obra apareça.

Conteúdos trabalhados:
- Leitura formal, interpretativa, releitura, vida e obras Joan Miró.
- Linhas, formas, sobreposição, volume, texturas, bi e tridimensão, composição, proporção, harmonia e planos.

Técnicas trabalhadas:
- Pintura com linhas em relevo – Atividade 01
- Montagem tridimensional  – Atividade 02
- Pintura raspada – Atividade 03

Possibilidades de trabalho:
- Inicialmente apresente aos alunos as obras de Joan Miró, escolha uma delas (sugestão – “Garden”).
- Escolhida a obra, façam a leitura formal (linhas, formas, planos, cores, etc).
- No segundo momento faça a leitura interpretativa da obra (O que vejo na obra?, O que está representando? O que me lembra? Qual a mensagem traz a obra, etc).
- Fale sobre o artista Joan Miró, seu estilo, as cores usadas nas obras, o tipo de pintura, o abuso das linhas e das formas, etc. Converse sobre as técnicas utilizadas por ele e como as obras de Miró foram se modificando ao longo de sua carreira. Mostre que algumas obras são feitas somente com linhas, outras misturam formas e linhas e outras somente formas. - Fale com as crianças sobre o Dadaismo e o Fovismo, o que acontecia no Brasil e no mundo na época e como  esses movimentos influenciaram Joan Miiró.
- Inspirado na obra escolhida, faça suas próprias obras.
- Faça uma roda de conversa onde cada criança mostrará sua criação e contará o que aprendeu com o desenvolvimento da atividade, como foi o processo de criação, quais os novos conteúdos aprendidos e quais os relembrados.

Obs: Plano de aula publicado no site da Acrilex - www.acrilex.com.br - "Educadores" - Edição - 
    
Ivete Raffa
Arte educadora e pedagoga
Cursos e Livros para professores








segunda-feira, 28 de julho de 2014

Flor do campo - Papel de bala -

Flor do Campo - Papel de bala
Aprenda a fazer flores de paple crepom para a decoração da escola, de festas, vitrines, etc. são fáceis de fazer e o resultado é muito interessante.
http://www.youtube.com/watch?v=MK3NssGJHe8&list=PLP51kaKU9PwcpuajaVdep55tt1vVGh6AN





sábado, 26 de julho de 2014

A arte na sala de aula

“A arte na sala de aula”


A escola é o primeiro espaço formal onde se dá o desenvolvimento de cidadãos e o contato com a arte nessa primeira fase escolar é importantíssimo. Ainda hoje, vemos escolas onde a arte é encarada como atividade de lazer e recreação.

É necessário que diretores de escola, coordenadores e pais entendam a importância do trabalho com a arte, uma vez que ela mexe com o emocional das pessoas. A arte faz com que a criança aprenda a ver as coisas com outros olhos, que se expresse com mais naturalidade e encontre soluções inusitadas para os desafios que aparecem à sua frente.


Para que esse contato aconteça de maneira produtiva é importante que os professores se formem com profissionalismo, que busquem atualização sempre e que ampliem seu repertório cultural para assim, poderem orientar as crianças e os jovens no desenvolvimento artístico.

A arte é transformadora e para que isso aconteça há a necessidade de propor sempre aos alunos, atividades que contemplem o conhecimento artístico, a fruição estética e o fazer artístico criativo.


A sala de aula deverá ser como um atelier de um artista ou o laboratório do cientista. Neles se desenvolvem pesquisas, técnicas, outras técnicas são criadas, experimentadas, vários materiais são testados, o processo criativo acontece e, às vezes, toma rumos que o próprio aluno não imaginava no início da atividade. Esse processo é sempre um desafio. Existe um ponto de partida mas os resultados finais são sempre diferentes de aluno para aluno.

Hoje o trabalho com a arte não está embasado no talento para a arte ou no dom, mas na capacidade de experimentar de cada um. Dessa forma, os alunos são estimulados a desenhar, representar, dançar, tocar, escrever, pintar, modelar, entre outras coisas.


Isso fará com que os alunos peguem gosto pelas atividades artísticas não só na escola mas em todo o seu dia a dia, fazendo assim parte de suas vidas, deixando de ser algo incompreensível e elitista, distante de sua realidade.

Portanto, o processo de criação de cada criança terá conexão com seus próprios valores e sentidos, fazendo com que cada resultado seja um, por exemplo, ao se estudar a obra “Estrada de Ferro Central do Brasil” de Tarsila do Amaral, cada criança buscará nas suas lembranças o conhecimento ou referências sobre os morros, saneamento básico, tipos de moradias, relacionamentos sociais, locais de lazer, pessoas e vegetação, enfim, a partir das suas lembranças, dos seus traços, gosto pelas cores, etc. A partir do que for discutido em sala de aula sobre o assunto é que ele irá criar e pintar o seu desenho ou representar a vida dos moradores daquele local.


Esse processo pedagógico busca a dinâmica entre o sentir, o pensar e o agir. Promove a interação entre saber e prática relacionados à história, às sociedades e às culturas, possibilitando uma relação ensino/aprendizagem de forma efetiva.

Nas aulas de artes de dez ou vinte anos atrás, os alunos saiam com todas as atividades iguaizinhas, esses resultados deixavam as crianças frustradas e sem ânimo para novas atividades artísticas.  Hoje, ao final das atividades, o professor reunirá todos os trabalhos no centro da sala e os alunos se sentarão em volta. O professor pedirá que cada criança fale sobre seu percurso criativo e, no final, relembrará de onde partiram, o que aprenderam e qual a importância dessa atividade pra cada um. Esse tipo de aula é muito mais instigadora e prazerosa, o que faz com que as crianças cada vez mais queiram realizar atividades artísticas.


Obs: Texto publicado no site da Acrilex – www.acrilex.com.br – link “Educadores” – Edição 07.
Obs: Atividades que ilustram o texto foram feitas pelos alunos da prof. Fernanda Estefano Bortolazzo de Capivari - SP.

Ivete Raffa
Arte educadora e Pedagoga
Cursos e Livros para professores

Belas Artes, Artes Plásticas e Artes Visuais

“Belas Artes, Artes Plásticas e Artes Visuais”


Belas Artes – É o tipo de ensino acadêmico que vigorou no século XIX, baseado no modelo clássico de origem greco-romano que inspirou o surgimento de diversas Academias de Arte na Itália, em outros países da Europa e, depois, na França de Napoleão que marca a origem desse ensino no Brasil. No passado, fazer arte era,  de um lado, a aproximação com os mestres clássicos do Renascimento italiano como Rafael, Michelangelo e Botticelli, por exemplo, por outro uma tentativa de criar um aparato técnico intelectual que tirasse a arte do contexto do mero artesanato.

Desde a época da Grécia antiga, o belo foi sempre um valor artístico de referência para a arte de tradição clássica e, falar em Belas Artes lembra, portanto, de beleza, seguido por outros termos como: o bonito, o agradável, o harmônico, o gracioso etc. Sendo assim, falar em Belas Artes faz-nos falar em tradição clássica, em academia e recuperação de valores que, nem sempre, fazem o perfil da arte contemporânea.


Artes Plásticas - É a arte que depende de manipulação, da ação manual exercida sobre um dado material que seja capaz de transformá-lo em substância expressiva dando-lhe forma e sentido. Logo, todos os materiais que suportem intervenção a ponto de assumirem novas formas e relações podem ser chamados de materiais plásticos. Podemos compreender sob o termo Artes Plásticas, os modos de expressão que tenham como base de trabalho a superfície (ambiente bidimensional) e o volume (ambiente tridimensional), sendo que na superfície podemos falar em expressão gráfica incluindo o desenho, gravura e de expressão pictórica, a pintura; quanto ao volume, podemos falar das poéticas que operam no espaço circundante por meio dos volumes como a modelagem, a escultura ou montagens.

Um aspecto importante para o entendimento do que é Plástico, é compreender que o exercício pragmático da criação depende também do domínio de habilidades motoras para o manuseio de certos instrumentos e ferramentas na relação com os materiais e suportes. Nos trabalhos em superfície, como por exemplo, no desenho, há que se dominar o uso do lápis ou da caneta; na pintura, há que se dominar o uso dos pincéis e das tintas; na gravura dos instrumentos de corte e incisão para gravar matrizes em madeira (xilogravura); no metal (gravura em metal) ou na pedra (litogravura), além da necessidade de conhecer os meios de impressão. Nos trabalhos em volume há que se dominar habilidades, técnicas, instrumentos e ferramentas para a modelagem e o corte na escultura propriamente dita.  


As Artes Visuais passam a incorporar diferentes poéticas, tanto aquelas que pertenciam ao contexto das Artes Plásticas, quanto as novas imagens originadas dos aparelhos como: máquinas fotográficas, máquinas cinematográficas e suas decorrências eletro-eletrônicas como o vídeo e os sistemas digitais de produção de imagens fixas ou em movimento e computadores.
            
O conceito de Arte Visual pode abarcar o conceito de Arte Plástica, no entanto, o conceito de Arte Plástica, não pode abarcar o de Arte Visual.
Fonte: www.artevisualensino.com.br (Isaac Antonio Camargo)


Modalidades das Artes Plásticas

1)  Desenho



2) Recorte e Colagem


3) Pintura



4) Bi e Tridimensão



5) Impressão


Obs: Texto publicado no site da Acrilex - www.acrilex.com.br - link "Educadores" - Edição 05

Ivete Raffa
Arte educadora e Pedagoga
Cursos e Livros para professores

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Datas comemorativas - "Dia dos Pais"

Datas Comemorativas – “Dia dos Pais”


O Dia dos Pais tem a origem bem semelhante ao Dia das Mães, e em ambas as datas, a ideia inicial foi praticamente a mesma, isto é, criar datas que fortalecessem os laços familiares e o respeito por aqueles que nos deram a vida.

Em 1909, em Washington, Estados Unidos, Sonora Louise Smart Dodd, filha do veterano da guerra civil, John Bruce Dodd, teve a ideia de celebrar o Dia dos Pais depois de assistir uma homenagem ao Dia das Mães. Ela queria homenagear seu próprio pai, que ficou viúvo quando sua esposa deu a luz ao sexto filho em 1898. Ele cuidou do recém nascido e seus outros cinco filhos sozinho.

Sonora sentia muito orgulho de seu pai por vê-lo superar muitas dificuldades sem a ajuda de ninguém. A comemoração foi oficializada nos Estados Unidos em 1972 e acontece no terceiro domingo de junho.


No Brasil, o Dia dos Pais é comemorado no segundo domingo de agosto e independente do lado comercial que envolve a data, a escola é um excelente local para se trabalhar os valores e os laços afetivos que unem uma criança ao seu pai ou aquele que faz o papel de pai.

Por muitos séculos, o pai era o único responsável pelo sustento da família, trabalhava o dia todo para garantir a estabilidade financeira. Hoje, os pais assumem novas funções dentro do lar. O pai do século XXI se renova em sentimentos e emoções, configurando-se num exemplo de dedicação.


Os pais de hoje trabalham, mas também, dividem as tarefas domésticas com as esposas, uma vez que a grande maioria das mulheres também trabalha. Os pais se preocupam juntos com o futuro dos filhos e, sempre que possível, reservam um tempo para curtir o dia a dia da família. Essa igualdade de papéis aproximou muito os pais dos filhos.

No passado, o pai se sentia constrangido para dar carinho ao filho. Beijar o filho era algo muito difícil de acontecer. As mudanças em relação a isso ficaram visíveis há duas ou três décadas com a entrada das mulheres no mercado de trabalho, com isso o homem foi forçado a assumir responsabilidades que não eram da alçada dele, forçando assim a superação dos dogmas machistas e provocando a aproximação afetiva entre pais e filhos.

"Papi" - Shelly Nebuhr - 2006

Atividades: Confeccionar cartões, decorar porta-trecos, telas, agendas, porta-canetas e outros para comemorar a data.

Objetivos:
a) Conhecer a história do início das comemorações do Dia dos Pais. Conversar com os alunos sobre os pais ou quem desempenha essa função na vida deles.
b) Realizar atividades práticas para comemorar o Dia dos Pais enaltecendo e refletindo sobre os valores que a data sugere.


Atividade 01 – Cartão para o papai – “Porta-cartões”


Material: Guache, Guache Glytter ou Guache Metálico (Acrilex), Marcador Permanente (Acrilex), tesoura, cola, pincel de cerdas duras e cartolina.

Modo de fazer:
a) Pinte com o Guache, Guache Metálico ou Guache Glytter um pedaço de cartolina. Espere secar e corte uma gravata.
b) Desenhe uma camisa em cartolina e recorte.
c) Risque o molde sobre um retângulo de cartolina de maneira que as duas partes fiquem unidas pelas mangas. Na parte de baixo deixe um retângulo de sobra do tamanho de um cartão de visita. Deixe mais um retângulo para poder dobrar e manter a camisa em pé sobre uma mesa e, dentro dela, colocar os cartões de visita.
d) Vinque bem as dobras.
e) Cole a gravata e dobre o colarinho.  Faça pespontos com o Marcador Permanente.
f) Escreva por dentro da camisa uma mensagem para o papai.
g) Coloque dentro de um envelope e presenteie o papai no seu dia.

Atividade 02 – Caixinha de madeira – “Porta-baralhos” ou “Porta-trecos”


Material: Caixinha de MDF para guardar baralhos, Base branca Acrílica para Artesanato (Acrilex), Tinta Acrílica fosca branca, Crystal Cola (Acrilex), cartolina e pincel.

Modo de fazer:
a)  Passe uma demão de Base branca Acrílica para Artesanato em toda  caixinha.
b)  Recorte em cartolina as letras que compõem o nome do papai. Coloque as letras sobre a tampa da caixinha e risque.
c)  Contorne as letras com Crystal Cola preta e faça linhas em todo o espaço que restou da tampa da caixinha. Espere secar por mais ou menos 30 minutos.
d)  Preencha as letras com Crystal Cola de uma das cores e o restante da tampa, preencha com Crystal Cola de outra cor, de maneira que seja monocromático. Espere secar por mais 30 minutos e está pronta a caixinha porta-trecos do papai.


Atividade 03 – Pintura texturizada em tela


Material: Textura Criativa (Acrilex), espátula, Crystal Cola dourada (Acrilex), tela, Tinta Acrylic Colors (Acrilex)  para tela, pincel, tesoura, cartolina e lápis.

Modo de fazer:
a) Corte em cartolina um retângulo do tamanho da tela.
b) Escreva o nome do papai. Faça outro risco paralelo às letras de maneira que o nome tenha largura.
c) Recorte o nome do papai de forma que fique vazado na cartolina.
d) Pinte a tela da cor que escolher com a Tinta Acrylic Colors para tela.
e) Coloque a cartolina sobre a tela. Com a espátula preencha os espaços onde está vazado o nome do papai.
f) Depois de preencher todo o espaço, erga a cartolina. Onde estava vazado aparecerá em relevo com a Textura Criativa, o nome do papai.
g) Decore com Crystal Cola Glytter ouro.
h) Junte a tela ao cartão, faça uma linda embalagem e presenteie o papai.

Atividade 04 – Agenda personalizada


Material: Uma agenda, Tinta Acrylic Colors (Acrilex), Crystal Cola (Acrilex) e rolinho de espuma para pintar.

Modo de fazer:
a) Peça a criança que coloque um pouco de Tinta Acrylic Colors sobre um prato, passe o rolinho e, com o rolinho embebido de tinta, passe na palma de uma  das mãos.
b)  Imprima na agenda.
c) Proceda da mesma forma e imprima a outra mão sobre a agenda.
d) Depois de seco, escreva uma mensagem ao papai com a Crystal Cola.

Atividade 05 – Porta-canetas e clipes


Material: caixinha de madeira com tampa, Base branca Acrílica para Artesanato, pincel, Tinta Acrílica fosca e Tinta Confetti (Acrilex).

Modo de fazer:
a) Passe uma demão de Base branca para artesanato na caixinha e espere secar.
b) Passe uma demão ou duas se achar necessário de Tinta Acrílica fosca. Passe a Tinta Confetti sobre a caixinha e espere secar.
c) Embale e presenteie o papai.


Atividade 06 – Latas decoradas (porta-bombons)




Material: Lata de achocolatado, leite em pó ou outra lata qualquer, Primer, pincel, Tinta Acrílica fosca ou brilhante (Acrilex), Crystal Cola (Acrilex), bolinhas adesivas, jornal, cola branca, revista, bolinha de isopor, marcador permanente, etc.

Modo de fazer:
a) Lave bem a lata, seque e passe duas demãos de Primer. Pinte a lata e a tampinha.
b) Pinte a lata do seu gosto com a Tinta Acrílica fosca ou brilhante.
c) Decore com Crystal Cola ou bolinhas adesivas ou recortes de papel, jornal ou faça qualquer outro tipo de decoração.
d) Pinte a bolinha de isopor e cole sobre a tampinha.
e) Faça bombons, enrole em papel chumbo (próprio para embalar bombons) e coloque dentro da lata para presentear o papai.


Bombom rápido
Ingredientes - 1 lata de leite em pó, a mesma medida da lata de açúcar, 1 garrafinha de leite de coco e 3 colheres de chocolate em pó.
Modo de fazer - Misture tudo e modele os bombons.


Conteúdos trabalhados:
-  Datas Comemorativas – História do Dia dos Pais
-  Valores, sentimentos.
-  Linhas, formas, cores, sobreposição, composição, proporção, textura, harmonia.

Técnicas trabalhadas:
- Pintura, Recorte e colagem (Atividade 01)
- Pintura em madeira com Tinta Mosaico (Atividade 02)
- Pintura texturizada em tela (Atividade 03)
- Pintura em couro – Agenda personalizada (Atividade 04)
- Pintura em madeira com Tinta Acrílica e Confetti (Atividade 05)
- Pintura ou colagem em lata (Atividade 06)

Possibilidades de trabalho:
Observação importante – A conversa com as crianças precisa ser muito tranqüila para que eles fiquem à vontade. Para isso, seria bom que a professora participasse o tempo todo das atividades, falando dos seus próprios sentimentos em relação ao seu pai ou a quem desenvolveu esse papel em sua vida.
- Peça aos alunos que escrevam ou desenhem seus pais.
- Peça que “apresentem” seu pai para a classe.
- Converse com os alunos sobre a figura paterna, hoje em dia, muitas vezes assumida pelo avô, tio, irmão ou a própria mãe. Diga que o importante é ter pessoas que nos dão carinho, amor, nos ensinam a respeitar o outro, que estão presentes quando necessitamos e que nos orientam para que possamos seguir o caminho do bem.
- Converse sobre os sentimentos envolvidos na relação pai e filho.
- Pergunte o que eles acham de comemorar o Dia dos Pais e como acham que deveria ser essa comemoração. Conte para os alunos como essa comemoração começou.
- A partir daí, é hora de homenagear os pais ou as pessoas que fazem esse papel na vida das crianças.

Nota: É importante que não tenha um “modelo” exposto para que o aluno copie. Deixe que seu aluno crie e decore do seu próprio jeito.

 Dicas:
Procure não dar um modelo pronto de letras. O ideal é que a criança desenhe as letras do nome do seu pai. Peça que recorte um retângulo que caiba no tamanho da tampa da caixinha e, nesse espaço, ela deverá desenhar as letras do nome do papai (atividade 02 e 03).
Faça a impressão das mãos numa folha de sulfite para ver se junta ou separa mais as mãos sobre a agenda. Depois que as mãos estiverem secas sobre a agenda é que a criança deverá escrever a frase de homenagem ao pai (atividade 04).
A sugestão é a decoração da caixinha de madeira com a Tinta Confetti, mas você poderá fazer a decoração com Crystal Cola ou outro material ou técnica (atividade 05).

Observação: Este plano de aula foi publicado no site da Acrilex - www.acrilex.com.br - link "Educadores" - Edição 09 - Datas Comemorativas - Dia dos Pais.

Ivete Raffa
Arte educadora e pedagoga
Cursos e Livros para professoras