Receba novidades - cadastre seu E-MAIL

segunda-feira, 28 de março de 2016

Obras de arte - Possibilidades de criação - "Cândido Portinari"

“Cândido Portinari”

   
Cândido Portinari nasceu em Brodósqui, interior de São Paulo, em 1903. Seus pais eram italianos e vieram para o Brasil esperando melhorar de vida. O primeiro emprego que conseguiram foi numa lavoura de café. Sua infância de menino do interior foi bastante simples, mas feliz e cheia de recordações. Gostava de jogar futebol, nadar nos rios da redondeza, brincar com pião, brincar de pular cela, balanço, enfim, brincava muito nas ruas de Brodósqui. Essas lembranças lhe renderam obras maravilhosas sobre as brincadeiras infantis.

Desde pequeno desenhava e por isso os colegas lhe pediam que ilustrasse seus cadernos, trabalhos e cartazes. Aos 9 anos trabalhou como ajudante de pintores italianos, na decoração da igreja de Brodósqui. 

"O circo" - 1950

Portinari se alegrava muito quando montavam circo em Brodósqui. A cidade toda ficava alegre e movimentada. A banda de música era outra atração, pois tocava nas festas e no coreto da praça nos finais de semana. Seu pai, o sr. Batista era um dos músicos.

Como todas as crianças, Cândinho, como era chamado, sentia alguns medos. Nas plantações via muitos espantalhos e, à noite, tinha pesadelos. Mais tarde fez várias obras mostrando espantalhos.



Cândinho era muito curioso, impressionava-se com os retirantes nordestinos, que chegavam a Brodósqui procurando emprego. Eram pessoa famintas e sofridas. Cândinho ficava observando essas pessoas por muito tempo. Dessa observação surgiu a série de pinturas “Os retirantes”, onde Portinari expressava a dor e o sofrimento dos nordestinos e exagerava ao retratar o sofrimento e a tristeza das pessoas.


Aos 15 Anos foi estudar no Rio de Janeiro, incentivado pela família que percebia seu grande talento para a pintura. Trabalhou e estudou bastante. Algum tempo depois ganhou uma viagem de estudos à Europa. Conheceu Maria Martinelli em 1930, jovem uruguaia de 19 anos, radicada com a família em Paris e se casou com ela. Na França, Portinari sentia saudades de Brodósqui e, ao voltar ao Brasil, fez várias obras pintando sua terra e sua gente.

Portinari fez uma exposição individual no Palace Hotel do RJ em 1932 exibindo obras que retratam cenas da infância, circo e cirandas. Pintou os lavradores de café, que ele conhecia tão bem desde a infância. Exagerava nos tamanho dos pés e das mãos com o intuito de mostrar o quanto trabalhavam nas lavouras.




Portinari pintou seu primeiro mural em 1936 para o monumento rodoviário da Estrada Rio/São Paulo, medindo 1m x 8m. A partir daí executou inúmeros painéis por todo o Brasil e desenvolveu a série “Via Sacra”, na Igreja da Pampulha em Belo Horizonte, painéis enormes e maravilhosos. Em 1951 participou da 1ª Bienal de São Paulo.  Morreu em  1962, aos 59 anos, intoxicado pelas tintas que tanto utilizou. Deixou inúmeras obras retratando o Brasil não só para os brasileiros, mas para o mundo todo.
         

Atividades: Representação dos espantalhos de diferentes formas.


Objetivos:
a)     Conhecer a vida e as obras de Cândido Portinari, as características de sua pintura, as cores utilizadas, as fases e os temas abordados.
b)  Escolher uma obra do artista, cujo tema é “Espantalho”, fazer a leitura formal e interpretativa.
c)     Apropriar-se da obra e criar obras inéditas, com diferentes materiais.

Atividade 01 – Espantalho no CD


Material: CD, EVA, Tinta Acrílica fosca. Cola para EVA, Cola branca, Marcador permanente preta, Crystal cola (Acrilex), EVA, cortiça, tesoura, sacolinha plástica, tecido xadrez.

Modo de fazer:
a)    Pinte o CD com a Tinta Acrílica fosca. Deixe secar.
b)    Corte em EVA branco duas ovais e, com Marcador permanente, pinte os olhos. Cole sobre o CD com a cola de EVA.
c)    Corte um triangulo em EVA laranja (nariz). Cole sobre o CD com a cola de EVA..
d)    Passe com uma esponja blush rosa e espalhe. Faça a boca do espantalho com o Marcador permanente preto.
e)    Recorte cabelos de EVA e de plástico (sacolinhas plásticas). Cole com cola de EVA no topo do CD.
f)     Na parte inferior do CD cole um laço xadrez feito de tecido.
g)    Na cortiça, corte um chapéu para o espantalho, com o marcador permanente faça os traços. Cole sobre os cabelos.

Obs: Atividade realizada pela professora Renata Neto Moura Ita de São Vicente - SP

Atividade 02 – Espantalhos sobrepostos




Material:  Papel sulfite, Big Canetas Hidrográficas (Acrilex), Marcador permanente preto, régua e folha de transparência.

Modo de fazer:
a) Inspirando-se nos “Espantalhos” de Portinari e, nas lendas urbanas, faça o desenho numa folha de papel sulfite.
b) Pinte  o desenho com as Big Canetas Hidrográficas da Acrilex utilizando a régua para fazer os traços, isto é, faça um traço, deslize um pouquinho a régua, faça outro traço e proceda dessa forma até preencher todo o desenho.
c) Coloque uma folha de transparência sobre o desenho e contorne-o com o Marcador permanente. Na transparência, faça detalhes para enriquecer a obra.
d) Mostre as obras separadamente ou coloque a transparência sobre a pintura, você terá um terceiro trabalho mais completo e realçado.

Técnica – pintura de canetinhas com régua
Obs: Os trabalhos acima foram realizados dentro do Projeto Portinari, desenvolvido pelas professoras Márcia Querino Teixeira dos Santos (Artes) e Juliana Ap. Rodrigues de Lima (Lingua Portuguesa) do Colégio São Gualberto de Pirituba – SP, com alunos do 6º ano do Ensino fundamental II. 
O objetivo era conhecer Portinari, suas obras e, cada aluno deveria criar contos inéditos (desenvolvimento da escrita) e desenhos inspirados nas obras “Espantalhos” (expressão artística).

Atividade 03 – Espantalho na janela


Material:  EVA, Cola de EVA, olhinhos móveis, Marcador permanente preto, palitos de sorvete, tesoura, cola e palha seca.

Modo de fazer:
a) Recorte o EVA (cabeça, camisa e chapéu). Cole as partes.
b) Cole palha seca sob o chapéu e nas mangas da camisa. Cole os olhos e, com o Marcador permanente preto faça a boca e os pespontos.
c) Monte a “janela” colando palitos de sorvete. Cole o espantalho por trás da janela.


Atividade 04 – Espantalho de Papel Mache


Material:  Papel Mache, Guache Glytter, Tinta acrílica fosca (Acrilex), Cola quente, palha seca, Tinta Dimensional, Marcador permanente preto e palito de churrasco.

Modo de fazer:
a) Prepare o Papel Mache de acordo com as instruções da embalagem. Modele o espantalho (camisa, calça, cabeça e chapéu). Espere secar.
b) Pinte com Guache glytter.
c) Cole palha seca nas mangas da camisa, calças e cabeça. Cole o chapéu.
d) Por último, cole o palito de churrasco por trás e espete em vasos de plantas ou jardim.

Atividade 05 – Espantalho na noite.


Material: Tinta Acrílica, Tinta Confetti, pincel, Marcador permanente, Cola de EVA, EVA, Lápis de cor aquarelável (Acrilex), palha seca, bandeja de isopor e tesoura..

Modo de fazer:
a) Pinte a bandeja de isopor com Tinta Acrílica e espere secar. Utilize azul bem forte para pintar o céu. Espere secar.
b) Pinte o céu com Tinta Confetti que contenha estrelinhas. Espere secar.
c) No EVA branco, pinte com o Lápis de cor aquarelável a camisa do espantalho (molhe a ponta para facilitar a pintura).
d) Recorte a cabeça, o chapéu, a camisa e a calça. Cole a palha seca, os olhos e, com o Marcador permanente preto faça a boca e o nariz.
e) Cole o espantalho sobre a bandeja pintada.

Conteúdos trabalhados:
-   Leitura formal, interpretativa, releitura, vida e obras de Cândido Portinari.
- Linhas, formas, cores, composição, sobreposição, textura, movimento, volume e harmonia.

Técnicas trabalhadas:
- Atividade 01 – “Espantalho no CD” – Pintura, recorte e colagem.
- Atividade 02 – “Espantalhos sobrepostos” – Pintura de canetinhas com régua
- Atividade 03 – “Espantalho na janela” – Recorte e colagem com EVA
- Atividade 04 – “Espantalho com Papel Mache” – Modelagem e Pintura
- Atividade 05 – “Espantalho na noite” – Pintura, Recorte e Colagem

Possibilidades de trabalho – Brincadeiras infantis:
- Inicialmente apresente aos alunos as obras de Cândido Portinari.
- Fale sobre o artista Cândido Portinari, seu estilo, as cores usadas nas obras, o tipo de pintura, o abuso das linhas e das formas, etc.
- Divida a sala em grupos, proponha que cada grupo pesquise sobre uma fase de Portinari: Brincadeiras Infantis, Espantalhos, Retirantes, Café e outras. Proponha que relatem os acontecimentos do Brasil nas diferentes fases.
- Escolhendo a fase “Espantalhos”, mostre as obras às crianças, converse sobre elas. Peça que conversem com os pais e avós sobre os espantalhos que eram colocados nas plantações para espantar os pássaros.
- Proponha às crianças que criem espantalhos com diferentes materiais e técnicas.
- Chame os pais e socialize as obras criadas pelas crianças.
- Faça uma roda de conversa onde as crianças contarão o que aprenderam com o desenvolvimento da atividade, como foi o processo de criação, quais os novos conteúdos aprendidos e quais os relembrados.
    
Dicas:
1)    Atividade 01 – Você poderá fazer vários espantalhos e pendurar na parede ou no teto da sala de aula.
2)    Atividade 02 – Ao fazer a pintura usando canetinhas e a régua, geralmente a canetinha suja a régua. O ideal é ir limpando com um paninho para que a tinta não se acumule e borre o trabalho.
3)    Atividade 03 e 05 – Ao usar a cola de EVA, passe pouca cola. O EVA não absorve a cola, portanto ela pode se espalhar e deixar o acabamento feio.
4)    Atividade 04 – Para pintar o espantalho feito de Papel Mache não é necessário passar a Base branca acrílica para artesanato. A pintura pode ser feita diretamente sobre as partes modeladas em papel mache.

 Observação 01: Para saber mais leia o  livro “Artes, primeiros passos” de autoria de Ivete Raffa e Márcia da Silva  – Editora Rideel.
Observação 02 - Plano de aula publicado no site da Acrilex - www.acrilex.com.br - link "Educadores", Edição 12

Ivete Raffa
Arte educadora e pedagoga

quarta-feira, 23 de março de 2016

Arte nas escolas - Colégio Renovação - Vitória - ES

Arte nas escolas - Páscoa

A professora Elizete Santos do Colégio Renovação de Vitória trabalhou o tema Páscoa com os seus alunos de maneira muito lúdica.

Os alunos do 3º, 4º e 5º anos construíram coelhinhos de papel enormes para participarem das festividades da Páscoa na escola e, em seguida, serão levados para as residências das crianças onde participação das comemorações da Páscoa das famílias.










Material: cartolina branca, papel color set, Bloco Ecocores Textura Visual (Novaprint), botões, olhos móveis, botões, tesoura e Cola branca (Acrilex).

Modo de fazer:
a) Faça um cone com aproximadamente 35 cm de altura (corpo do coelho). 
b) Recorte em cartolina branca quatro tiras (pernas e braços) e a cara do coelho.
c) Com os papéis Ecocores Textura faça os detalhes no coelho (orelhas), detalhes sobre o corpo, pés, etc.
d) Cole olhos móveis e com papéis faça o nariz, boca e dentes do coelho.
e) Com papel crepom ou papel colorido faça um laço e cole um botão no meio para finalizar.

Ivete  Raffa
Arte educadora e pedagoga




sábado, 19 de março de 2016

Datas Comemorativas - PÁSCOA

Datas Comemorativas - Páscoa


Por volta de 2 a 3 anos de idade as crianças entram no mundo da fantasia onde vivem as bruxas, fadas, Papai Noel e Coelho da Páscoa.

As escolas infantis, além de trabalharem a fantasia, tradição religiosa e a história, aproveitam essas datas comemorativas para transmitir uma noção de tempo aos seus alunos. A Páscoa, por exemplo, antecede ao Dia das Mães, que por sua vez antecede a Festa Junina.

A Páscoa é uma das datas mais celebradas em todo o mundo. Independentemente de sua origem e seu significado cristão, são as crianças as que mais se divertem nessa época. Elas precisam de festas, não só as festas de aniversário, onde elas são o centro de todas as atenções, mas também as festas coletivas, como o Natal e a Páscoa, quando elas dividem a mesma alegria com outras crianças.

 
 
As crianças costumam ganhar presentes de seus pais, avós e amigos quando fazem aniversário, mas, na Páscoa, elas ficam muito emocionados pois acham que o “Coelhinho da Páscoa” lembrou delas e ainda trouxe um ovo de chocolate. Pras crianças esse fato é inesquecível.

Segundo a lenda, quem trouxe essa tradição para o Brasil foram os alemães. Outra versão é que uma mulher de poucas condições financeiras coloriu alguns ovos e escondeu-os em um ninho. Eles seriam o Presente de Páscoa dos seus filhos. No exato momento em que as crianças acharam os ovinhos, passou um coelho correndo....


Sabemos que o coelho é um dos animais mais férteis que existem, trazendo com eles a ideia de vida nova e abundância.

Atividades: História da Páscoa com painéis e lembrancinhas.

Objetivos:
a)    Conhecer a história da Páscoa e os valores trabalhados nessa data.
b)    Desenvolver atividades (painéis) que contem a história da Páscoa.
c)    Fazer lembrancinhas para comemorar a data.


Material: Bloco de papel Ecocores Moldura, bloco Ecocores Textura (Novaprint), Guache Glitter e Metálico, Tinta Confetti, Crystal Cola, Big Caneta Hidrográfica preta e Cola branca (Acrilex), pincel, tesoura, cortadores de papel e tesoura.  

Modo de fazer:
a) Divida a história "A origim da Páscoa em partes. Distribua as partes entre os alunos e peça que, em grupos, façam os quadros utilizando os papéis Ecocores Moldura, Textura e as tintas.
b) Coloque os quadros em ordem para contar a história. 


1 - A Páscoa é a festa tradicional onde se comemora a ressurreição de Cristo. Mas nem sempre foi assim. Há muito tempo atrás, antes de ser considerada uma das principais festas do cristianismo, a Páscoa comemorava o fim do inverno e a chegada da primavera na Europa.

  
2 - A Páscoa era uma homenagem a Esther, a deusa da Primavera. Inspirados na beleza da deusa e de seu nome "Esther", surgiu a palavra Easter, que significa Páscoa em inglês. Esther representava a chegada de uma nova vida, de um novo período, cheio de graças e bênçãos, por isso sempre aparecia segurando um ovo e observando um coelho que é símbolo de fertilidade.   


3 - A Páscoa Cristã tem início na quarta-feira de cinzas, período pós carnaval e termina no domingo de Páscoa. Durante os 40 dias da Quaresma, os cristãos procuram purificar o espírito livrando-se dos pecados. Celebramos sempre no domingo depois da primeira lua cheia da Primavera, com muita alegria, paz e amor.


4 - Surgiu então o costume de pintar ovos, primeiramente na Inglaterra, durante o reinado de Eduardo I, no século X. Ele tinha o hábito de banhar ovos em ouro para presentear amigos e aliados. Tempos depois a tradição de decorá-los com pinturas começou a fazer parte de diversas culturas, por trazer sorte, fertilidade, amor e dinheiro. Cada povo com sua criatividade...
  


5 - Dar e receber. Comemorar e agradecer. Momentos que dividimos com quem amamos: nossa família e nossos amigos.



Atividades criadas pela prof. Fernanda Estefano Bortolaso de Capivari - SP

Lembrancinhas de Páscoa

Coelhinho de origami



Material: Bloco Ecocores Papel que se dobra (Novaprint), Papel Color Set preto, cartolina branca, olhinhos móveis, fita, palitos de sorvetes, tesoura e cola branca.

Modo de fazer:
a)    Pegue um quadrado do Papel que se dobra e dobre seguindo os passos abaixo.
b)    Cole os bigodes do coelho, o nariz (papel color set preto).
c)    Recorte os dentes na cartolina branca e cole por trás da dobradura.
d)    Cole os olhos móveis e cole o coelhinho sobre o palito de sorvete. Faça um laço e cole sobre o palito.
Presenteie cada aluno com um coelhinho ou faça muitos coelhinhos com os alunos e presenteie os funcionários da escola, pessoas da comunidade, familiares, etc

Painel – “Os coelhinhos estão trazendo os ovos de Páscoa”.



Material: Bloco Ecocores 21 cores, Papel Crep Pack xadrez ou listras (Novaprint), fitilho ouro, caneta preta, cola branca, tesoura, olhos móveis, cortador em formato de flor e Crystal Cola Metálica branca da Acrilex.

Modo de fazer:
a)  Recorte os moldes em cartolina e transfira para o papel Ecocores 21 cores (cores diferentes).  Junte as partes com cola. Faça bochecha e bigodes com caneta preta. Cole olhos móveis.
b) Com o papel Crep Pack faça os ovinhos de Páscoa, amarre com fitilho dourado e cole nas mãos dos coelhinhos.
c)  Faça o fundo do painel com o Bloco Ecocores 21 cores (rasgue os papéis para dar um efeito mais bonito e cole sobre o papel Color set).
d)  Recorte com o cortador em formato de flor, várias flores. Cole-as sobre o fundo. Faça os miolinhos com Crystal Cola Metálica branca da Acrilex. Cole os coelhinhos sobre o fundo de flores.

Embalagem para bombons



Material: Bloco Ecocores Textura, Bloco Ecocores 21 cores (Novaprint), régua, tesoura, cola branca e fitas.

Modo de fazer:
a) Escolha uma cor para cada embalagem. Recorte tiras de 2 cm de largura (3 estampas diferentes). Cole-as sobre uma folha de papel Ecocores 21 cores da mesma cor (exemplo: cole sobre o papel vermelho liso as tiras de estampa vermelha).
b) Recorte as partes da embalagem conforme o esquema abaixo. Vinque nas marcações (parte interna da embalagem).
c)  Cole os “ovos” estampados na tira com os vincos para formar a embalagem. Um de cada lado.
d)  Cole a alça (tirinha de papel estampado)
e)  Recheie com bombons e amarre com um laço de fita.


Técnicas trabalhadas: Pintura, recorte, colagem e dobradura (origami).

Conteúdos trabalhados: História da Páscoa, linhas, formas, cores, composição, paralelismo, sobreposição, harmonia, proporção, bi e tridimensão.

Possibilidades de trabalho:
a) Converse com seus alunos sobre as datas comemorativas e a tradição de comemorá-las.
b)  Fale sobre a Páscoa e os valores que esta data traz. Conte a história dessa data. Divida a sala em grupos e peça que cada grupo represente uma parte da história através de um painel.
c)  Junte todos os painéis para recontar a história através das imagens.
d)  Socializem com as demais salas a história da Páscoa.
e)  Ensine seus alunos a fazerem coelhinhos, embalagens e painéis para comemorar a data.

Ivete  Raffa
Arte educadora e pedagoga
iveteraffa@uol.com.br

segunda-feira, 14 de março de 2016

terça-feira, 8 de março de 2016

"A Borboleta e a Lagarta"

A Borboleta e a Lagarta
Palavra Cantada


A Borboleta e a Lagarta (Palavra Cantanda)

Lá lá lá, lá, lá, lá vai uma lagarta

Tá tá tá tá sempre a mastigar
Nhac, nhac, nhac como está com fome
Come come come sem parar

Lá,lá,lá lá lá, lá, lá vai borboleta
Tá tá tá tá livre a voar
Flap, flap, flap cor de violeta
Uma flor voando pelo ar

Flap Flap Flap flap Flap Flap flap
Nhac, nhac, nhac, nhac

Será que a borboleta lembra que já foi lagarta?
Será que a lagarta sabe que um dia vai voar?










Atividade: Reler a música “A Borboleta e a Lagarta” através de quadros que traduzem a letra da música.

Objetivos:
a)  Conhecer a música “A Borboleta e Lagarta”, cantarolar e criar quadros plásticos que mostram o que a música diz.
b)  Entender o ciclo de vida das borboletas (metamorfose).
c)  Desenvolver a criatividade, a observação, cantar e fazer movimentos corporais.

Textos de apoio:

Palavra Cantada é uma dupla musical infantil formada em 1994 por Paulo Tatit e Sandra Peres. É caracterizada por canções infantis de linhas marcantes, que prezam pela elaboração das letras, arranjos e gravações, com uma poética sensível e respeito à inteligência das crianças.
Os shows da Palavra Cantada tem a música como elemento central, usando sempre os instrumentos e a movimentação de palco como principal elemento cênico. A dupla já produziu mais de 10 discos, ultrapassando a marca total de dois milhões de CDs vendidos, com todos ainda em catálogo até hoje.


Ciclo de vida das borboletas
A transformação do ovo em borboletas chama-se metamorfose.
a)    ovo / fase pré-larval 
b)    lagarta 
c)    pupa / que se desenvolve dentro da crisálida 
d)    imago / fase adulta
Os ovos eclodem depois de alguns dias e deles saem as lagartas, que após se alimentarem da casca do ovo, começam a comer as folhas da planta onde se encontram.

A lagarta muda de pele algumas vezes na medida que cresce. O período entre duas mudanças é chamado de instar. A lagarta deixa de se alimentar no último instar, ela fixa-se em um galho e sofre a última mudança, na qual surge a pupa.
Durante a fase da pupa, a lagarta é lentamente transformada em borboleta.
Quando a transformação está completa, a crisálida se abre e a Borboleta sai de seu interior.



Material: Cartolina ou papel cartão para a base, papel ECOCORES 21 cores  e ECOCORES TEXTURA da Novaprint,  papel Kraft, Crystal Cola (Acrilex), olhinhos móveis, cola branca, tesoura de picotar e tesoura.

Modo de fazer:
a)  Divida a música “A Borboleta e a Lagarta” em partes “cenas”.
b) Recorte a cartolina ou papel cartão no tamanho A4 (base). Rasgue papel ECOCORES 21 cores em tons de azul e branco e cole sobre a base.
c)  No papel ECOCORES 21 cores verde, recorte com a tesoura de picotar as folhas de amora (comida da lagarta). Faça texturas com Crystal Cola Jelly.
d) Recorte círculos com o papel ECOCORES TEXTURA verde e monte a lagarta nos diferentes quadros.
e) Recorte as flores e as borboletas utilizando o papel ECOCORES 21 cores e ECOCORES TEXTURA. Cole os olhinhos móveis nas lagartas e nas borboletas.
f)   Ao terminar o trabalho, coloque em sequência para montar a música.
Obs: Se quiser, faça a lagarta e a borboleta com o papel Ecocores Textura, cole um palito de churrasco por trás e utilize como fantoches.

Conteúdos trabalhados: Canto individual e coletivo, movimentos corporais, cores, linhas, formas, proporção, sobreposição, textura, estética e composição.

Técnica trabalhada: Recorte e colagem

Possibilidades de trabalho:
- Inicialmente coloque a música para que as crianças ouçam. Depois de ouvirem algumas vezes, proponha que cantem junto com o CD. (https://www.youtube.com/watch?v=QPJULMIlDy0)
-  Peça que acompanhem a música cantando e fazendo movimentos corporais.
-  Converse com os alunos sobre as borboletas e o seu ciclo de vida.
-  Proponha que dividam a música em partes. Divida a sala em grupos de acordo com o número de partes que a música foi dividida.
- Distribua cartolinas, papéis ECOCORES 21 cores e ECOCORES TEXTURA, cola, tesoura e Crystal cola e deixe seus alunos criarem os quadros.
- Coloque os quadros em ordem e peça que cantem a música novamente observando os quadros.
-  No final, peça aos alunos que falem sobre a atividade: pontos positivos e negativos.

Obs: Plano de aulas publicado no site da Novaprint – www.novaprint.com.br – link “Professores”.

Ivete  Raffa
Arte educadora e pedagoga